12/12/2016

even cowgirls get the blues


[Foto: Divulgação]

Depois do meteórico sucesso, do retumbante fracasso e da inevitável redenção, era de se esperar que a Lady Gaga ficasse mais reflexiva e procurasse um modo de processar seus sentimentos. Fruto dessa autoanálise, Joanne é um álbum extremamente pessoal e expurgatório. Por isso mesmo, parece um ponto fora da curva na discografia dela: o repertório de fácil consumo dá lugar a letras sobre dor, perda e mágoa. Não à toa, os ritmos predominantes nessa obra são o country e o rock, e a maioria das músicas tem a pessoa por trás do alter ego como protagonista. Tributo a uma tia que faleceu antes de seu nascimento e com quem compartilha um nome, fala tanto da morte consumada (o assassinato de um adolescente negro) quanto da iminente (o câncer terminal de sua amiga) em "Angel Down" e "Grigio Girls", respectivamente. Para contrapor todo esse drama, o disco aborda temas mais leves como a masturbação ("Dancin' in Circles"), a camaradagem feminina ("Hey Girl") e a alegria pura ("Just Another Day"). Destaque para "Diamond Heart", "A-Yo", "Perfect Illusion" e "Million Reasons". Eu recomendo!

Nenhum comentário: